Periodicidade: Diária - Director: Armando Alves - 22/10/2019.
 
 
À CONVERSA COM... O CAVALEIRO ANTÓNIO PRATES
À CONVERSA COM... O CAVALEIRO ANTÓNIO PRATES
19 de Junho de 2019

A 3 dias de tirar a alternativa em Alcochete, fomos falar com o cavaleiro de Vendas Novas

Nome: António José Dias de Sousa Prates  

Idade:21 anos

Natural de: Vendas Novas

Nacionalidade: Portuguesa

FT - Desde pequeno, que sonhas com toiros e cavalos. Como cresceu essa paixão?

AP - Nasci e cresci no mundo das touradas. O meu avô toureou, o meu pai é toureiro e o meu irmão mais velho também chegou a tourear. No meu dia a dia, quando os via a trabalhar, ia crescendo esta paixão dentro de mim e o sonho de um dia ser igual a eles.

FT – Qual a reação dos teus pais quando decidiste ser cavaleiro?

AP - Penso que não ficaram espantados, pois já estavam à espera que isso fosse acontecer.

FT - O que representa o toureio para ti?

AP - O toureio para mim não tem descrição possível, pois é uma paixão que uma pessoa sente por tudo o que envolve este mundo: cavalos, touros e principalmente a vida no campo.

FT - Quem mais te influenciou ao longo destes anos?

AP - O meu pai.

FT - Em dia de Corrida, tens por hábito algum ritual ou superstição?

AP - Não, faço sempre as minhas orações, mas não tenho nenhum ritual especial.

FT – O que sentes quando entras em praça?

AP - São momentos inexplicáveis. Acima de tudo penso sempre em manter a calma para conseguir dar o meu melhor e ter uma boa lide.

FT - Qual o cavalo que mais te marcou?

AP - Não foi um, foram dois. O Ardilha com o ferro Peralta e o Júpiter com ferro Manuel Vidrié.

FT - O que é para ti um bom toureiro?

AP - Para mim o bom toureiro é aquele que sabe arriscar nos terrenos de compromisso, para levar a emoção ao público e pôr a praça de pé.

FT - Por que tipo de toiros tens preferência?

AP - Não tenho preferência, desde que me permitam triunfar gosto de todos.

FT - Quem é o António Prates?

AP - Sou um rapaz normal. Para alem da minha vida dos cavalos, gosto de me divertir com os meus amigos. Mas tenho sempre o meu objetivo presente, um dia poder ser um dos melhores.

FT - Para além da carreira tauromáquica, o que fazes no dia-a-dia?

AP - A carreira tauromáquica muitas vezes não me permite ter tempo livre no dia-a-dia. Pratico a minha rotina de tratar dos cavalos e montá-los, e se tiver algum tempo livre aproveito para estar com os meus amigos e família.

FT - Aos 10 anos apresentaste-te ao publico em Montemor, são muitas as diferenças entre esse António e o António que conhecemos hoje?

AP - Acho que são poucas as diferenças. Apenas fiquei mais adulto e adquiri mais experiência.

FT - Em 2011 foste considerado o cavaleiro amador revelação, e recebeste inúmeros prémios nomeadamente na feira da Moita, como é que sendo um miúdo tão novo lidaste com os triunfos e com as expectativas que os aficionados começaram a depositar em ti?

AP - É natural que tenha sentido uma maior pressão, mas considero-me um rapaz tranquilo e penso que soube lidar bem com isso.

FT - Em 2014 mudaste-te para o México, como foi contactar com uma realidade diferente da nossa?

AP - Foi uma experiência bastante positiva para mim. Conheci novas pessoas e toureei num ambiente diferente que o que estava habituado, o que me permitiu conhecer mais como toureiro.

FT - Em 2016 tomaste a alternativa de praticante, descreveste a temporada de 2017 como tendo sido sonhada, a de 2018 como uma temporada bastante positiva, o que podemos esperar de ti em 2019?

AP - Podem esperar um António Prates com vontade de fazer mais e melhor, tentando nunca desiludir o público.

FT - Há alguns anos que se especula acerca do dia da tua alternativa, porquê ser agora?

AP - Penso que seja o momento ideal para tirar a alternativa. Estou moralizado e acho que tenho os meus cavalos em forma para o compromisso.

FT – Quais são as expectativas em relação a esse dia?

AP - As expectativas são muito altas. Vamos esperar que seja uma noite positiva para todos os aficionados e que sejamos todos triunfadores, cada um ao seu estilo.

FT - Quando pensas no futuro, de que forma gostavas de ser lembrado, qual é a marca que queres deixar na nossa festa?

AP - Como qualquer toureiro, gostava de ser lembrado como um dos melhores.

FT - Descreve estes 10 anos numa palavra.

AP - Dedicação.

NUMA PALAVRA:

Um cavaleiro(a)?

José Prates

Uma ganadaria?

Pinto Barreiros

Um forcado?

Tiago Gonçalves (Coruche)

Um toureiro?

José Prates

 

Um bandarilheiro?

Nuno Oliveira

Uma praça?

Alcochete

Um cavalo?

Júpiter

Um colega?

António Núncio

A sua melhor lide?

Vila-Francada

Um jogador?

João Félix

Um filme?

Hidalgo

Um destino de férias?

México

Um país?

Portugal

Uma cidade?

Vendas Novas

Paia ou campo?

Campo

Comida favorita?

Lasanha

Um clube?

Benfica

Um livro?

Cavalo de Guerra

Um sonho?

Ser o  melhor

 

 

Uma palavra/sugestão para o Forcadilhas e Toiros.

AP - Continuem com o vosso excelente trabalho!

FT - Que continues sempre com essa determinação e ganas de triunfar. E que tenhas a noite tão sonhada, lá estaremos!

Boa sorte, António!

Entrevista: JOANA LEÃO SELORINDO

Fotos: MÓNICA SANTA BÁRBARA