Periodicidade: Diária - Director: Armando Alves - 15/12/2017.
 
 
"O QUE ANDAMOS NÓS AQUI A FAZER"
"O QUE ANDAMOS NÓS AQUI A FAZER"
20 de Junho de 2016

Uma curta e séria análise ao estado da tauromaquia

O QUE ANDAMOS NÓS AQUI A FAZER?

Sou pouco dado a escritas rectóricas em que “eu tenho sempre razão e sei tudo e tu estás sempre errado e não percebes nada disto”, mas infelizmente a nossa tauromaquia está a ficar farta de certos “vícios” que a estão a abater de uma forma mais veloz do que se poderia supor!

Como já o disse por inúmeras vezes e a outras tantas pessoas, sou assíduo leitor de todos os órgãos de informação taurina, respeito todos por igual e não tenho problemas de o dizer e de dizer também que lendo e vendo o trabalho dos outros também aprendo e evoluo, mas sinceramente á coisas que me deixam cada vez mais preocupado além de perplexo!

Pois bem, começamos por aqui, ninguém lê ou vê nada do que os outros publicam, mas toda a gente sabe o que se passa na casa do vizinho e inclusive comenta!

Estranho bastante que alguns órgãos de comunicação naveguem ao sabor não se sabe bem de quê, ou sabe-se? pois hoje destacam o fulano A, B ou C e é sempre esse que triunfa e amanhã logo roda para outro e passa a ser esse a triunfar, hoje está alguém como figura de destaque e na corrida em que entra no fim de semana seguinte já se sabe quem será o triunfador. Será que conseguem ler nas estrelas mesmo em dias de céu limpo e sem estrelas? Será que não andam ai uns “regalos” escondidos para fazer sobressair uns em relação a outros?

É que todos nós vamos a algumas corridas por época e outros vão a muitas corridas como é o meu caso e sinceramente escondem-se ou omitem-se aspectos das lides e elevam-se outros que não lembram a ninguém! Porque será?

Porque se destacam apenas as “montadas” de uns em detrimento das de outros?

Em relação aos empresários repete-se a mesma história, teremos nós a obrigação de divulgar TODOS os espetáculos taurinos ou só aqueles que interessam mais ao nosso bolso?

Quem somos nós para dizer mal do cartel daqui ou dali? Já algum de nós propôs algum cartel “milagroso” e investiu alguns milhares euros no mesmo, ou limitamo-nos a dizer mal sem propormos algo diferente?

Será que as empresas só são nossas amigas quando nos deixam estar na trincheira e nos “acariciam” para divulgarmos os cartéis em plano destaque e quando não o fazem são colocadas em 2º plano ou nem sequer são faladas, ou são sempre faladas pela negativa?

Porque será que ninguém destaca a actuação de um peão de brega a não ser pela negativa?

E em relação aos forcados? Pegou á 1ª tentativa ou á 2ª ou á 3ª e estiveram coesos ou não estiveram coesos e ficamos por aqui?

Decerto que repararam que escrevi algumas vezes a palavra “nós”, e não sendo melhor nem pior do que ninguém, tenho a minha linha de conduta que decerto continuarei a seguir, pois não me revejo em muito do negativo que acabei de escrever e que vai arrasando com a festa!

Com tudo o que atrás escrevi, será que andamos a enganar a tauromaquia? Ou os leitores? Ou a nós próprios? Ou aos artistas?

Como todos devem imaginar sei bem distinguir o trigo do joio, pelo que alguns dos meus colegas não cabem de certeza dentro desta saca!

Volto novamente ao título do artigo: O QUE ANDAMOS NÓS AQUI A FAZER?

Armando Alves