Periodicidade: Diária - Director: Armando Alves - 15/12/2017.
 
 
Á CONVERSA COM A CAVALEIRA VERÓNICA CABAÇO
Á CONVERSA COM A CAVALEIRA VERÓNICA CABAÇO
21 de Abril de 2017

Fique a saber um pouco mais sobre esta jovem cavaleira
Estivemos á conversa com a cavaleira Verónica Cabaço.
Uma menina mulher com as ideias bem definidas sobre quem é e o que pretende ser!

 

Uma jovem promessa da tauromaquia em Portugal que gosta de enfrentar o toiro de frente.

- Nome: Verónica Isabel Lopes Cabaço

- Idade: 25 anos

- Natural de: Samora Correia

- Nacionalidade: Portuguesa

- Cavaleira Praticante

FT: Como nasceu o gosto pela arte de tourear?

VC - Nasci numa família com uma enorme paixão pela tauromaquia. Desde muito cedo que comecei a montar e a ganhar o vício pelo tourear.

FT: Tem antecedentes na família ligados à tauromaquia?

VC - Não.

FT: Qual foi a reação da sua família quando disse que queria ser cavaleira?

VC - A primeira reação foi pensarem que seria uma coisa passageira, mas apoiaram-me sempre.

FT: Ainda se recorda do que lhe passou pela cabeça quando vestiu, pela primeira vez, a casaca?

VC - Claro que sim, foi um dia inesquecível, foi uma sensação espetacular, uma grande emoção.

FT: Recorda algum episódio curioso que tenha ocorrido nesse dia?

VC - Nesse dia foi um misto de emoções, lembro-me que coloquei um bom violino e ficaram todos surpreendidos porque não tinha treinado para isso. Ah ah ah.

 

 

FT: Além de si, obviamente, quem está por detrás do sucesso que tem nas praças?

VC – Desde há dois anos que sou apenas eu quem monta e treina os meus cavalos, mas claro tenho um grande apoio em tudo, da minha mãe, do meu namorado, dos meus avós, do sr. João e esposa. Aliás toda a minha equipa é muito importante para mim, cada um com a sua função.

FT: Como concilia o toureio com a vida particular?

VC - Com vontade tem-se tempo para tudo. Agora concílio os treinos com o café que abri com o meu namorado.

FT: Quantas horas treina por dia?

VC – Posso lhe dizer que treino todos os dias.

FT: Como ocupa o seu tempo livre?

VC - Tento descansar, aproveitar para estar com quem gosto, passear.

FT: O que gosta de fazer para além de tourear?

VC - Gosto de ir ao cinema, gosto de passear, gosto de um bom almoço em família.

FT: O que seria senão fosse cavaleira?

VC - Uma pergunta difícil, porque não me imagino a ser outra coisa que não seja cavaleira.

FT: Acha que o seu percurso nesta profissão é mais ou menos difícil por ser mulher?

VC - Não se trata de ser mais fácil ou não para um homem, é particularmente difícil.

FT: Encontra diferenças no toureio de um homem e de uma mulher? Se sim, quais são essas diferenças?

VC - As diferenças não são de ser homem ou mulher, mas sim depende de pessoa para pessoa, de personalidade para personalidade, cada um tem a sua arte.

FT: Descreva-nos o seu toureio

VC - Tento ter um toureio frontal, verdadeiro que me satisfaça enquanto artista e espectadora.

FT: O que é para si um bom toureiro?

VC - Um toureiro frontal, de guerra, lutador, que meta emoção na bancada.

 

FT: Tem algum toureiro que lhe sirva de inspiração? Algum ídolo?

VC - Claro que sim António Telles, Ana Batista.

FT: Com quem gostava de partilhar cartel?

VC - Pablo Hermoso de Mendoza.

FT: Com quem gostava de partilhar uma lide?

VC – Com António Telles.

FT: Qual o seu sentimento em relação aos forcados?

VC - São membros fundamentais na nossa festa, sinto um grande respeito acima de tudo.

FT: Indique-nos uma praça onde sonhe actuar?

VC – Praça de toiros do Campo pequeno.

FT: Os cavaleiros, regra geral, são supersticiosos! A Verónica tem alguma superstição ou ritual próprio antes de entrar em praça?

VC - Não coloco o tricórnio em cima da cama, quando estou trajada o carro onde vou não pode andar de marcha-atrás e, um dia antes ou no dia da corrida tenho de ver uma borboleta branca para dar sorte.

FT: Descreva-nos a sensação de ver um toiro sair à arena para ser lidado por si

VC - É uma sensação única, um misto de emoções, de pensamentos.

FT: Qual é a sua quadra para 2017? Vamos ter novidades? Se sim, quais serão?

 

VC - Este ano vou ter um cavalo de saída que levará o meu ferro, o Camacho (neto do Nilo), de bandarilhas tenho o Xarel (muito disponível e maleável adapta-se a qualquer toiro), o Patinho (um árabe que lida muito bem), tenho o Coimbra que é um dos que penso que dará destaque com as suas batidas ao píton contrário, e uma novidade... o Burladero, um cavalo especial que será para o último tércio que irá trazer umas novidades há praça. Aguardem!!!.

FT: Quantas corridas pensa fazer em 2017? Pensa tourear fora de Portugal? Se sim, onde?

VC - Está falado com o apoderado há volta de 15 e a estreia em Espanha.

FT: Que tipo de toiros gosta que lhe saiam em sorte?

VC - Gosto de um toiro que ande, que traga emoção a mim e há bancada.

FT: Alguma ganadaria em especial?

 

VC – Não, nenhuma ganadaria em especial.

FT: Como encara o aparecimento de novos valores?

VC - É ótimo termos sempre jovens a aparecer, não podemos deixar morrer uma tradição tão bonita como a nossa.

FT: Gosta de assistir a corridas de toiros?

VC - Claro que sim.

FT: O que sente sentada numa bancada a assistir a uma corrida?

VC - Sinto um grande orgulho de fazer parte desta cultura, desta tradição.

FT: O que sente ao entrar numa praça e ver as bancadas “vazias”?

VC - É o pior que um toureiro pode ver.

FT: O que acha que poderia ser feito para chamar mais gente às praças?

VC - Publicidade, demostrar que somos uma tradição, uma cultura, uma arte.

FT: Como encara o facto de um Espanhol ser anunciado e encher uma praça e com um Português isso não acontecer?

VC - Confesso que é complicado de digerir...

FT: 2017 pode ser um ano importante na afirmação da Verónica! Depois do Festival em Arronches onde as criticas foram positivas, como encara o festival de Sto António das Areias?

VC - Encaro todas as corridas com grande responsabilidade e com grande vontade de triunfar em todos os compromissos.

FT: Que balanço faz da sua breve carreira?

VC - Tem sido uma batalha difícil mas, a pouco e pouco, tudo se consegue, com muito trabalho e dedicação.

FT: Quem é a Verónica Cabaço?

VC - Sou acima de tudo uma grande aficionada, uma apaixonada pelo Cavalo, uma pessoa humilde e com muitos sonhos.

NUMA PALAVRA:

A sua melhor lide? Vinhais

Um cavaleiro(a)? António Telles

Uma ganadaria? Murteira Grave

Um forcado? Ricardo Patusco

Um toureiro? Filipe Gonçalves

Um bandarilheiro? Pedro Paulino

Uma praça? Campo Pequeno

Um cavalo? Patinho

Um colega? Filipe Gonçalves

Um clube? Sporting

Um jogador? Cristiano Ronaldo

Gosta de filmes? Sim

Um destino de férias? México

Um país? Portugal

Uma cidade? Madrid

Praia ou campo? Campo

Comida favorita? Bacalhau com Natas

Um sonho? Ser figura do Toureio

Uma palavra/sugestão para o forcadilhas e toiros.

Agradeço pelo vosso trabalho e divulgação da nossa tradição, continuem a fazer pela nossa Festa Brava.

Beijinhos Verónica Cabaço