Periodicidade: Diária - Director: Armando Alves - 23/10/2018.
 
 
JOÃO AUGUSTO MOURA E FORCADOS COMENTAM OS 40 ANOS DE ALTERNATIVA DE JOÃO MOURA
JOÃO AUGUSTO MOURA E FORCADOS COMENTAM OS 40 ANOS DE ALTERNATIVA DE JOÃO MOURA
06 de Junho de 2018

Amanhã ninguém pode faltar a esta grande corrida no Campo Pequeno

O novilheiro João Augusto Moura analisa desta forma o percurso ímpar do cavaleiro João Moura, ao longo de mais de 40 anos de toureio:

"Constitui para mim uma enorme satisfação participar na corrida de comemoração dos 40 anos de Alternativa do meu tio João. Ele é uma figura incontornável e inigualável do toureio a cavalo. Para além de ter revolucionado o toureio a cavalo, ele conseguiu igualmente transmitir à sua família, filhos e sobrinhos, o gosto pelo toureio, gosto esse que hoje em dia o público pode testemunhar no João Júnior, no Miguel, no "Bini" e em mim próprio e, não me admiraria muito se o Tomás fosse o próximo pois, sendo ainda uma criança, já demonstra um nível de afición desmedido, segundo dizem comparável ao de seu pai, com a mesma idade.

João Moura marca uma até então jamais imaginada revolução no toureio a cavalo e uma revolução protagonizada praticamente por uma criança: Com apenas 10 anos de idade apresenta-se no Campo Pequeno (24 de Setembro de 1970) num cartel integrado pelas maiores figuras de então: João Núncio, Manuel Conde, Mestre Batista e Luís Miguel da Veiga). Eu até gostaria aqui de recordar um diálogo que uma vez ouvi entre aficionados sevilhanos a propósito da forma de tourear do meu tio: diziam eles: «Sempre gostámos de rejoneo. Dantes a Real Maestranza parecia que não tinha fim, sempre que actuava um rejoneador…nunca havia espaço que chegasse para se parar um toiro. Até que chegou João Moura e com a inspiração da sua brega conseguia para os toiros na "boca de riego" (ponto de distribuição de água) que fica no centro da arena. Não precisava mais do que esse espaço! Incrível!» Era o tempo do "Niño Moura que deixou de boca aberta de espanto todo o mundo taurino, aquele "Niño" que começara por deslumbrar Madrid, a 27 de Maio de 1976.

Estar mais de quarenta anos no activo e com a intensidade com que João Moura o tem feito, só está ao alcance dos génios! E ele, após quatro décadas continua a merecer o estatuto da genialidade.

Na próxima quinta-feira quero, no mínimo, estar à altura da corrida de comemoração dos 30 anos de Alternativa, em que saímos os quatro em ombros do Campo Pequeno. Para isso me preparo com afinco e seleccionei para esta corrida um novilho da minha ganadaria (Torre d'Onofre), o número 70, que tem uma ascendência das mais pontuadas do historial da ganadaria."

No cartel desta corrida figuram os cavaleiros João Moura, e os seus filhos João Moura Júnior e Miguel Moura, bem como o novilheiro João Augusto Moura, sobrinho do homenageado. Lidam-se seis toiros para cavalo (três de Manuel Coimbra e três de Romão Tenório) e um novilho para pé da Torre d'Onofre. Pegam os grupos de forcados amadores de Portalegre, Arronches e Monforte, respectivamente capitaneados por Francisco Paralta, Manuel Cardoso e Ricardo Carrilho.

 

Os 40 anos de alternativa de João Moura comentados pelos grupos de forcados

Cabos dos forcados de Arronches e Monforte e futuro cabo dos amadores de Portalegre, grupos presentes na corrida de 7 de Junho, falam sobre a comemoração dos 40 anos de alternativa do Maestro João Moura.

1. O que significa para o grupo figurar no cartel da corrida de comemoração dos 40 anos de alternativa de João Moura?

Gonçalo Louro (GL, Grupo de Forcados Amadores de Portalegre) – É para nós um grande orgulho estar presente nesta corrida, pois haveria certamente, muito grupos que gostariam de aqui estar. É, pois, para o Grupo de Forcados Amadores de Portalegre, um motivo de enorme orgulho ser parte integrante desta efeméride tão significativa para João Moura e para a tauromaquia em geral. O nosso grupo tem estado presente nalguns dos momentos mais significativos da carreira do João Moura, concretamente nas corridas de Alternativa dos seus filhos, João Júnior e Miguel.

Manuel Cardoso (MC, Grupo de Forcados Amadores de Arronches) – É uma grande responsabilidade para o grupo integrar este cartel e, ainda mais, por se tratar da nossa estreia no Campo Pequeno e logo numa circunstância de tão grade significado para a tauromaquia como é esta. Acresce ainda o facto de uma das ganadarias que estão anunciadas ser do nosso conterrâneo senhor Francisco Romão Tenório, o que sem dúvida é um aliciante suplementar ou, se quiser, a cereja em cima do bolo.

Ricardo Carrilho (RC, Grupo de Forcados Amadores de Monforte) – Honra, responsabilidade e, acima de tudo, um privilégio poder pegar esta corrida. Mas também uma felicidade partilhada por se comemorar uma efeméride que poucas figuras do toureio conseguem celebrar e, ainda por cima com a juventude de espírito, com o sentido de competição com o qual João Moura continua a apresentar-se em praça.

2. Qual é, em seu entender, o contributo de João Moura para a evolução do toureio a cavalo?

GL – João Moura é uma figura ímpar. É o cérebro deste novo toureio. Ele é que implementou o seu estilo e o mantem há mais de quarenta anos. Ele fez uma revolução no toureio a cavalo. Não há ninguém como ele, apesar de ter mutos seguidores. Foi e continuará a ser o número 1. Pelo menos para mim e para muitos é!

MC – Revolucionou o toureio a cavalo! Há um toureio a cavalo antes e outro depois de João Moura. O que mais desejo na corrida da próxima quinta-feira é que seja um triunfo colectivo, que seja o reconhecimento do público a uma das maiores figuras de sempre do toureio e que todos saiamos satisfeitos com o que se passar na arena.

RC – João Moura revolucionou o toureio a cavalo e fez escola, ao longo de mais de quarenta anos de actividade. Não é fácil encontrar na história da tauromaquia casos de longevidade artística como o de João Moura e esse facto só vem a favor dele pois é um atestado do seu valor artístico. É um cavaleiro com um sentido de competição tremendo, que nunca se dá por vencido. E será, certamente para ele um orgulho, quando vê entrarem na arena os seus filhos João Júnior e Miguel, que tão fiéis seguidores têm sido da doutrina tauromáquica de seu pai.