Periodicidade: Diária - Director: Armando Alves - 24/09/2018.
 
 
IMAGENS E CRÓNICA DA CORRIDA DE ESTREMOZ
IMAGENS E CRÓNICA DA CORRIDA DE ESTREMOZ
01 de Maio de 2018


A presente obra está protegida ao abrigo do Código do Direito de Autor e dos Direitos Conexos.
A utilização não autorizada pode configurar a prática de um crime de usurpação ou contrafação (arto.s 195o e
196o do CDADC) para além de incorrer em irresponsabilidade civil conducente a um pedido de
indemnização.
© 2018, Armando Alves



Mestre JOÃO MOURA nos seus 40 anos de alternativa

Corrida de Toiros em Estremoz – 29/04/2018

Integrada na conhecida Feira Internacional de Agropecuária e Artesanato – FIAPE, decorreu este domingo a Corrida de Toiros comemorativa dos 40 anos de alternativa do cavaleiro João Moura, numa  tarde fria e que se adivinhava chuvosa. A chuva lá deu tréguas durante o espetáculo.Já o frio foi imenso, tendo também a Corrida ficado um pouco aquém das expectativas. 

Repartiu cartel com João Moura, António Telles e Francisco Cortes, lidando toiros Passanha e Pereda. No que às pegas diz respeito, estiveram a cargo dos Amadores de Montemor e do Aposento da Moita. A corrida foi dirigida pelo Sr. Marco Gomes  e abrilhantada pela Sociedade Filarmónica Luzitana.
Abriu Praça o cavaleiro João Moura perante um Passanha com 540 kg. Teve uma lide regular sem grande emoção, a citar de largo, mas sem qualquer resposta do oponente, que se mostrou sempre reservado. Melhor a cravar nos curtos.
Para a pega, Bernardo Martinho, dos Amadores de Montemor. Consumou ao segundo intento, pois o toiro arrancou com muita pata e no primeiro não conseguiram a reunião. Pega brindada ao cavaleiro João Moura.
Seguiu-se António Ribeiro Telles que brindou a sua lide a João Moura. Calhou-lhe em sorte um toiro Pereda com 490 kg, que andou  distraído, com querença nas tábuas e reservado. António com a sua classe habitual, deu-lhe a volta e aproveitou as suas acometidas da forma que pôde.
Pegou ao terceiro intento Miguel Fernandes pelo Aposento da Moita.
E para o terceiro da tarde, saiu à Praça, o cavaleiro da terra, Francisco Cortes. Toureou um exemplar da ganadaria Pereda com 480 kg, a lide foi bastante regular e sem grande emoção.
Pelo grupo de Montemor pegou Miguel Cecílio, que consumou à segunda tentativa. Pega limpa e sem grandes dificuldades.
Para abrir a segunda parte, o cavaleiro homenageado naquela tarde, a quem calhou em sorte um Pereda com 540 kg. Citou-o de praça a praça, fez as suas habituais cambiadas e cravou bem ao piton contrário, resultando assim, esta sua segunda lide, numa lide mais bem conseguida que a primeira. 
O aposento da Moita brindou esta sua segunda pega ao cavaleiro João Moura. 
Pega consumada ao segundo intento por Leonardo Matias.  
Para o penúltimo da tarde, o cavaleiro da Torrinha, a quem calhou em sorte um exemplar da Ganadaria Passanha, com 560 kg. Melhor neste segundo, a cravar ferros com muita verdade e a conseguir chegar melhor ao público do que no primeiro.
Foi para a cara deste toiro o forcado António Calça e Pina, pelos Amadores de Montemor, que consumou à primeira tentativa. O toiro arrancou com muita pata, o forcado reuniu bem e o grupo ajudou de forma coesa. 
Finalmente, Francisco Cortes, esteve perante um Passanha com 565 kg. Teve uma lide regular e com mais emoção que a sua primeira. 
Para a pega João Ventura, pelo Aposento da Moita, que após três tentativas veio a ser dobrado pelo cabo, José Maria Bettencourt, tendo sido assim, a pega consumada ao sexto intento.

De destacar que apesar de tanto os Passanha como os Pereda estarem bem apresentados, eram muito reservados e mansos, sendo que foi António Ribeiro Telles quem conseguiu tirar melhor partido deles.

Esta corrida resultou assim num momento de  grande importância para o meio taurino, o cavaleiro João Moura, via ali reconhecidos os seus 40 anos de passagem pelas nossas Praças. Recorde-se que o cavaleiro de Monforte, se estreou em público pela primeira vez  com apenas 7 anos na Praça de Toiros de Portalegre.
E mais tarde, a 11 de junho de 1978, na Monumental Celestino Graça, veio a receber a sua alternativa, tendo como seu padrinho o saudoso cavaleiro David Ribeiro Telles.

                                                                                              Joana Leão Selorindo

Crónica: JOANA LEÃO SELORINDO

Fotos: ARMANDO ALVES