Periodicidade: Diária - Director: Armando Alves - 14/12/2018.
 
 
IMAGENS E CRÓNICA DA CORRIDA NA NAZARÉ
IMAGENS E CRÓNICA DA CORRIDA NA NAZARÉ
11 de Setembro de 2018


A presente obra está protegida ao abrigo do Código do Direito de Autor e dos Direitos Conexos.
A utilização não autorizada pode configurar a prática de um crime de usurpação ou contrafação (arto.s 195o e
196o do CDADC) para além de incorrer em irresponsabilidade civil conducente a um pedido de
indemnização.
© 2018, Armando Alves
 
NOTÍCIAS RELACIONADAS

Rostos da praça



Fim de temporada muito bom na praça do Sitio

Decorreu no passado sábado a última corrida desta temporada na Praça de Toiros do Sítio da Nazaré, com uma casa praticamente cheia. Repartiram cartel Rui Salvador, Tito Semedo, Ana Batista, João Moura Caetano, Marcos Bastinhas e a praticante, Mara Pimenta. Foram lidados 5 toiros da Ganadaria Jorge Mendes e um da Ganadaria Nuno Casquinha. As pegas estiveram à responsabilidade dos Grupos De Forcados Amadores de Coruche, da Chamusca e do Cartaxo. Dirigiu a corrida o delegado João Cantinho.

Saiu à arena Rui Salvador, frente a um exemplar de Jorge Mendes com 520kg, um animal alto e com muito esqueleto. No geral Rui Salvador teve uma lide correta e ritmada, frente a um bom toiro, e que aqueceu o público para as lides seguintes. O primeiro ferro comprido foi um pouco atrasado, mas melhorou nos curtos com um 3º curto de destaque. Teve direito a música e volta.

Seguiu-se a noite com Tito Semedo, que arriscou bastante frente a um oponente de 470kg, um toiro forte e que não lhe dificultou a lide. Iniciou-se com um ferro comprido muito bom, transmitindo muita emoção ao público, que ao quarto curto já vibrava com o cavaleiro. Terminou a sua lide com um curto de violino e um palmito, ambos excelentes. Foi sem dúvida uma das melhores lides da noite. Foi congratulado com música e volta.

Em terceiro lugar saiu a cavaleira Ana Batista, frente a um toiro alto e com trapio de 530 kg, que saiu lançado dos curros. A lide de Ana Batista não começou da melhor maneira, com alguns problemas nos ferros compridos, mas melhorou nos ferros curtos. Foi uma lide correta, que, à exceção dos ferros compridos, não teve nada que se apontasse de errado. Sempre elegante e com classe, a cavaleira teve direito a música e volta.

A corrida seguiu, sem intervalo, com João Moura Caetano, que enfrentou um animal de 515kg bem conformado, mas manso, que não investiu muito durante toda a lide. O primeiro ferro curto foi complicado, mas a partir daí a lide melhorou, ainda que tenha ficado aquém do que Moura Caetano tem habituado os aficionados. Destaque para o segundo ferro curto ao piton contrário e para os três palmitos com que terminou a lide, que foram do agrado do público presente. Teve também direito a volta e música.

Marcos Bastinhas saiu à praça frente a um toiro de 485 kg, lançado e bravo, bem conformado mas com pouca força. Iniciou a sua lide muito bem logo nos compridos, e teve a capacidade de transmitir muita emoção ao público ao arriscar bastante frente a um animal que investiu durante toda a lide. Terminou com um palmito e um par de bandarilhas muito bons. Fez a lide ao som da música e na volta à arena foi aplaudido por todo o público presente na praça.

Por fim saiu à arena a praticante Mara Pimenta, frente a um toiro de Nuno Casquinha, de 460 kg, grande, bem conformado e com trapio. A lide desta cavaleira começou muito mal, tendo tido bastantes dificuldades a cravar os ferros compridos. Nos curtos esteve de menos para mais. A pedido do público cravou mais 2 palmitos, ambos de boa nota. Teve direito, como todos os cavaleiros nesta noite, a música e volta.

No que toca às pegas da noite, pelo GFA de Coruche pegou Tiago Gonçalves ao primeiro intento e Pedro Coelho ao segundo.

Pelo GFA da Chamusca foram à cara os forcados Hélder Delgado e Francisco Borges, ambos à primeira tentativa. A pega de Francisco Borges foi a melhor da noite!

Pelo GFA do Cartaxo, estiveram os forcados Miguel Afonso que consumou a pega à primeira tentativa e Fábio Beijinho que apenas conseguiu pegar o toiro à quarta tentativa e de sesgo.

Foi uma boa noite de verão para ir aos toiros, com um cartel apelativo e que não desiludiu.

Crónica - Ana Silva

Fotos - Armando Alves