Periodicidade: Diária - Director: Armando Alves - 23/09/2019.
 
 
CORRIDA DE TOIROS OVIBEJA IMAGENS - CRÓNICA
CORRIDA DE TOIROS OVIBEJA IMAGENS - CRÓNICA
28 de Abril de 2019


A presente obra está protegida ao abrigo do Código do Direito de Autor e dos Direitos Conexos.
A utilização não autorizada pode configurar a prática de um crime de usurpação ou contrafação (arto.s 195o e
196o do CDADC) para além de incorrer em irresponsabilidade civil conducente a um pedido de
indemnização.
© 2019, Armando Alves



O Forcadilhas e Toiros esteve presente!

Fotografias de João Rodrigues de Carvalho

Crónica de Ana Silva

 

CORRIDA DE TOIROS DA OVIBEJA 2019

A praça de toiros José Varela Crujo recebeu ontem a 1ª Corrida de Toiros dos Agricultores do Sul, por altura da 36ª OVIBEJA. O cartel foi constituído pelos cavaleiros Luís Rouxinol, João Ribeiro Telles Jr. e o rejoneador Andrés Romero. Para as pegas foram convidados três Grupos de Forcados Alentejanos: o Grupo de Forcados Amadores de São Manços, o Real Grupo de Forcados Amadores de Moura e o Grupo de Forcados Amadores de Beja. O curro, bem apresentado e com trapio pertencia à Ganadaria Canas Vigouroux. Em disputa estavam os prémios de Melhor Lide, cujo júri era constituído respetivamente por António Ventura, Rafael Vilhais e Joaquim Brito Paes, e o de Melhor Pega, cujo júri foi constituído por João Caixinha, Fernando Navas e Manuel da Messejana. Dirigiu a corrida por Domingos Jeremias.

Luís Rouxinol esteve majestoso em Beja, iniciou a tarde frente a um toiro de 614 kg, e, nesta primeira lide esteve bem e conseguiu uma lide correta sem reparos a fazer. Terminou com um belo Palmito cravado no sítio certo. Na segunda lide, esteve frente a um animal bem apresentado e com trapio; nesta lide esteve brilhante. Conseguiu realizar uma faena irrepreensível que terminou com a estreia do Douro nos pares de bandarilhas, que resultou da melhor forma, e com um ferro de palmo também de muito boa nota. Teve direito a música e a volta à arena em ambas as lides da tarde.

João Ribeiro Telles não ficou atrás de Rouxinol. Frente ao seu primeiro oponente, de 617 kg, saiu com o cavalo Aveiro, não conseguiu estar na melhor forma nos compridos, mas redimiu-se nos curtos numa clássica lide bem ao estilo da sua dinastia que conseguiu transmitir emoção ao público. O seu segundo toiro, de 575 kg, saiu lançado dos curros. Nesta lide, Telles esteve bem do início ao fim. Começou com o Lusco Fusco nos compridos, mas foi nos curtos que se destacou. O primeiro ferro curto desta lide foi sem dúvida o ferro da tarde. João Ribeiro Telles pôs Beja a vibrar, na sua estreia nesta terra.

Andrés Romero esteve frente ao toiro mais complicado da corrida, durante a sua primeira lide. Esta primeira parte não lhe correu da melhor forma, ainda assim teve direito a música durante a sua lide. O quarto curto foi um bom ferro, mas foi na segunda lide que se redimiu. Nesta segunda parte, o rejoneador enfrentou um toiro de 572 kg. Nesta lide, mais ritmada e com mais emoção, os ferros resultaram de melhor forma, ainda que tenham ficado um pouco descaídos. Em ambas as lides teve direito a volta à arena.

Pelo Grupo de Forcados Amadores de São Manços, pegou o forcado Pedro Galhardo, à segunda tentativa, o primeiro toiro da tarde, e o forcado José Quintas também ao segundo intento o quarto toiro da ordem.

Pelo Real Grupo de Forcados Amadores de Moura, saiu em primeiro lugar, para pegar o segundo toiro, Gonçalo Borges, que consumou uma belíssima pega, a melhor da tarde, ao segundo intento. Para o quinto toiro, o forcado de cara foi João Cabrita que consumou à primeira tentativa.

Pelo Grupo de Forcados Amadores de Beja, para pegar o terceiro toiro da tarde, o mais complicado, Francisco Patanita foi à cara, consumando a pega ao terceiro intento. Foi autorizada a volta ao forcado, mas ele decidiu ficar nas trincheiras. Para o último da tarde, Mauro Lança consumou uma boa pega à primeira tentativa.

Para terminar, foram entregues os prémios em disputa no final da corrida no centro da arena. Para a Melhor Lide, o júri optou pela segunda lide de João Ribeiro Telles, e para a Melhor Pega, os jurados optaram sem dúvida pela pega de Gonçalo Borges do Real Grupo de Forcados Amadores de Moura.