Periodicidade: Diária - Director: Armando Alves - 22/09/2019.
 
 
IMAGENS E CRÓNICA DA CORRIDA VIDAS CORREIO DA MANHÃ NO CAMPO PEQUENO
IMAGENS E CRÓNICA DA CORRIDA VIDAS CORREIO DA MANHÃ NO CAMPO PEQUENO
17 de Maio de 2019


A presente obra está protegida ao abrigo do Código do Direito de Autor e dos Direitos Conexos.
A utilização não autorizada pode configurar a prática de um crime de usurpação ou contrafação (arto.s 195o e
196o do CDADC) para além de incorrer em irresponsabilidade civil conducente a um pedido de
indemnização.
© 2019, Armando Alves



Moura JR grande triunfador da noite

O Forcadilhas e Toiros marcou presença na noite triunfal do Campo Pequeno, na corrida Vidas, que comemorou o 13º aniversário da reinauguração da Praça de Toiros do Campo Pequeno. Tourearam os brilhantes cavaleiros Luís Rouxinol e João Moura Jr. e o Rejoneador Pablo Hermoso de Mendonza. As pegas dos seis toiros Romão Tenório ficaram a cabo dos Grupos de Forcados de Lisboa e de Évora.

Rouxinol, que iniciou a noite frente a um Preto Bregado de 638 kg, com dois compridos cravados a sesgo que resultaram muito bem. Lidou nos curtos ao som da música cravando ferros de excelência e terminou a lide com os tradicionais ferros de palmo e par de bandarilhas que resultaram muito bem. Conseguiu transmitir emoção durante toda a lide. Para pegar este primeiro toiro, pelo GFA de Lisboa, foi à cara o forcado Pedro Gil, que concretizou ao segundo intento, foi autorizado a dar volta mas recusou.

Seguiu-se o Rejoneador Pablo Hermoso, adorado pelo público Lisboeta, frente a um toiro de 580 kg.  Cravou dois bons ferros compridos, mas foi nos curtos, com o Berlín que esteve ao seu estilo. Cravou todos os ferros ao estribo e en su sítio, resultando assim numa lide brilhante. Entrou em terrenos do seu oponente, arriscando muito mas levando muita emoção a toda a praça. Terminou montado no Janucá a cravar dois curtos de excelência. Pelo GFA de Évora, o cabo João Pedro Oliveira consumou ao segundo intento.

João Moura Jr. lidou um toiro de 626 kg, com muito boa apresentação. Saiu com o Jamaica com quem cravou dois compridos muito bons. Com o Aquiles deixou-se entrar nos terrenos do toiro cravando ferros bastante emotivos. Conseguiu uma lide maravilhosa e harmoniosa, ao estilo da casa Mourista. Levantou todo o Campo Pequeno com as suas batidas ao piton contrário. Para pegar este exemplar, pelo GFA de Lisboa, Duarte Mira consumou uma pega rija ao primeiro intento.

Como já tem sido habitual, a corrida seguiu sem intervalo. Rouxinol defrontou um Romão Tenório de 546 kg com muito trapio. Recebeu o oponente com uma sorte Gaiola muito bem conseguida. Com o Douro, nas bandarilhas, esteve ao seu estilo, com ferros de destaque, transmitindo mais uma vez muita emoção ao público. Terminou a lide com dois ferros de palmo, um deles a pedido insistente do público, ambos de boa nota. Pelo GFA de Évora, Dinis Caeiro concretizou à segunda tentativa, após ter desfeito a pega duas vezes, visto que o toiro não investia.

Pablo Hermoso, frente ao seu segundo toiro, de 630 kg, esteve bem durante toda a lide e levantou a praça logo ao cravar o primeiro curto. Deixou o Público do Campo Pequeno a desejar por mais Pablo Hermoso, após uma lide que chegou à bancada e a deixou a vibrar. Conseguiu alguns ferros de destaque e terminou a sua lide apeado, deixando a sua montada abandonar a arena em primeiro lugar. Pelo GFA de Lisboa, concretizou uma boa pega ao segundo intento, Vitor Epifânio.

Para terminar a noite em grande, João Moura Jr. esteve triunfal frente a um toiro Preto Bragado Meano de 632 kg. Cravou os dois compridos de boa nota com o Jamaica e seguiu para as bandarilhas montado no Hostil. No primeiro curto arriscou muito, entrando em terrenos difíceis mas conseguiu um ferro excelente. Reinventou a Mourina, sorte criada pelo seu pai nos anos 80, cravando assim o ferro da noite. Levantou a praça! Mostrou toda a sua raça Mourista e terminou a lide em altas. João Moura Jr. triunfou, sem sombra de dúvidas, no Campo Pequeno. Pelo GFA de Évora, António Torres consumou ao segundo intento.

Crónica: ANA SILVA

Fotos: ARMANDO ALVES