Periodicidade: Diária - Director: Armando Alves - 15/08/2020.
 
 
FESTIVAL DE MOURÃO VISTO DE OUTRO ÂNGULO
FESTIVAL DE MOURÃO VISTO DE OUTRO ÂNGULO
02 de Fevereiro de 2020





Agora com crónica

Mourão, como já vem sendo tradição, deu ontem início à temporada taurina Portuguesa. A praça esgotou a sua lotação, demonstrando as saudades que os aficionados já sentiam das tardes de toiros. O cartel, constituído por Manuel Jesus “El Cid”, Juan Leal, Juan Ortega, Juanito, Manuel Telles Bastos, João Salgueiro da Costa e o GFA da Póvoa de São Miguel. O Dr. Joaquim Grave, além de promotor do primeiro espetáculo da temporada, teve também o papel de Ganadero.

               El Cid não deslumbrou em Mourão. No primeiro tércio, de capote, não se destacou. As bandarilhas ficaram cravadas no sítio. O tércio de muleta correu melhor: conseguiu realizar uns bons Derechazos, templou bem e efetuou um bom Pase de Pecho. Por fim, o estoque ficou um pouco lateral.

               Juan Leal viu o seu oponente ser recolhido aos curros após escorregar algumas vezes no inicio da lide. O novilho demorou muito a ser recolhido, sendo que a decisão do veterinário da corrida poderá ter sido um pouco precipitada. Entrou o sobrero e, após ser corrido, Juan Leal conseguiu uma série de Saltilleras, terminando com uma Verónica, conseguindo assim destacar-se bastante no primeiro tércio. O tércio de bandarilhas não correu muito bem com um par falhado e dois cravados, mas com as bandarilhas muito afastadas entre si. No terceiro tércio arriscou bastante com passes Naturales e Derechazos de joelhos em frente ao toiro. Toureou com bravura e destreza. O estoque resultou um pouco descaído.

               Juan Ortega começou a sua lide com uma boa Revolera mas, acabou por realizar poucos lances de capote. No segundo tércio foi cravado um par de bandarilhas muito bom. Na última parte da sua lide fez muitos Naturales e Derechazos, mas com o novilho sempre a ajoelhar-se, ficou impedido de brilhar, ainda assim conseguiu obter uma boa lide frente ao oponente que lhe calhou em sorte. O estoque final foi muito bem cravado, en su sítio.

               Juanito foi sem dúvida o triunfador do toureio apeado, apesar de um primeiro tércio um pouco fraco. As bandarilhas foram bem cravadas no segundo tércio, mas foi no tércio de muleta que João Silva deslumbrou o público, com um Pase de Pecho e uma Manoletina; no fim da sua lide decidiu arriscar demasiado e ajoelhar-se em frente ao novilho, no entanto quase foi colhido. Esta situação no entendo não passou de um pequeno susto. Cravou o estoque após uma série de Manoletinas, mas este acabou por resultar um pouco descaído. 

               Após um não tão curto intervalo para o terreno da arena ser arranjado, entrou Manuel Telles Bastos em praça, desde já com uma nota negativa pela sua atitude frente ao Diretor Agostinho Borges, que, seja qual for a situação é a autoridade máxima dentro de uma praça de toiros. Manuel Telles Bastos não conseguiu brilhar nesta primeira corrida do ano com ferros sempre descaídos. Teve direito a música e a volta foi-lhe autorizada, mas preferiu não a dar.

               Salgueiro da Costa foi o grande triunfador da tarde com ferros muito bem cravados en su sítio, apesar de no terceiro ferro curto não ter aguardado que o novilho investisse. Terminou a lide com dois palmitos excelentes e pôs a praça de pé a aplaudi-lo. João Salgueiro mostrou uma boa quadra, com toureria, provando que tem material para fazer da temporada de 2020 a sua temporada. Teve direito a música e volta.

               As pegas, como já foi referido, ficaram a cargo do GFA da Póvoa de São Miguel. A primeira pega do ano não foi fácil: Ruben Torrado foi à cara, acabando por ter de ser retirado da praça após a segunda tentativa. Dobrou o forcado Albino Martins, que apenas consumou a pega na segunda tentativa, a sesgo. A pega do segundo novilho foi consumada ao primeiro intento por Fábio Caeiro.

               Passou-se assim a primeira tarde de toiros da década, e que venham mais assim para que nos seja possível provar que o público taurino é cada vez mais, ao contrário do que nos tentam fazer acreditar. De parabéns está o Dr. Joaquim Grave por conseguir esgotar uma praça em pleno Inverno.

Crónica: ANA SILVA

Fotos: ANA DIREITO e ANA CANHÃO