Periodicidade: Diária - Director: Armando Alves - 12/06/2021.
 
 
À conversa com o forcado Sérgio Miguel
À conversa com o forcado Sérgio Miguel
23 de Janeiro de 2014

O Forcadilhas e Toiros foi até á "Casinha dos pregos", a quem desde já agradecemos a forma como fomos recebidos, situada em São Domingos de Rana - Polima, com o propósito de entrevistar aquele que consideramos ser um dos melhores primeiros ajudas.

Todos aqueles que vestem uma jaqueta de forcado devem ser considerados como homens valentes, no entanto uns estarão mais preparados do que outros para desempenhar tal função.

No caso dos forcados que habitualmente dão a primeira ajuda, e para que o forcado da cara se sinta com as costas um pouco mais seguras, torna-se necessário que este cumpra a sua missão com valentia e saber do oficio.

Assim fomos entrevistar o Sérgio Miguel, talvez mais conhecido como "Índio", rapaz de 33 anos, natural de Cascais e que representa os forcados amadores do Ribatejo.

FT - Quais os grupos a que pertenceste até agora?

SM- Até agora pertenci aos amadores de Cascais, Loures, entretanto extinto, e Ribatejo.

FT - Em que ano surgiu o grupo forcados dos amadores do Ribatejo?

SM - Surgiu no já longínquo ano de 1905, a 5 de Maio.

FT - O que significa para ti a jaqueta do forcado?

SM - É me difícil explicar, mas seguramente significa responsabilidade, um peso que se sente em cima de nós, significa força, a importância e a responsabilidade de representar um grupo e uma região - O RIBATEJO.

FT - Qual a característica principal que um forcado deve ter?

SM - HUMILDADE dentro e fora da praça.
FT - O que leva alguem a arriscar a pele e ser forcado?

SM - A vontade de aprender, o gosto e a paixão por pegar toiros.

FT - Que espírito une os forcados do mesmo grupo?

SM - A camaradagem, união, alegria de estarmos juntos, a amizade entre nós, a vontade de auxiliar e ajudar um amigo em apuros.

FT - Ainda te lembras do primeiro toiro que pegaste?

SM - Claro que sim, foi em Mogadouro, numa terra chamada Urrós.

FT - A que ganadaria pertencia o toiro?

SM - Herdade de Pégoras.

FT - O que sentiste quando o cabo te mandou para a cara do teu primeiro toiro?

SM - Naquela altura senti-me bloqueado, era tudo o que mais queria, sonhava com aquele momento e finalmente as portas abriram-se para concretizar o sonho, as pernas tremeram e a responsabilidade era grande. Aprendi naquela altura que o segredo do forcado è superar o medo e é nesse momento que sentimos a força que o grupo nos transmite, sentimo-nos envolvidos pela coragem que o grupo todo nos transmite.
FT - O que pensa e sente um forcado quando salta a trincheira para pegar um toiro?

SM - Sinto um peso e uma responsabilidade grande sempre que piso uma arena.

FT - Consegues descrever a sensação de ficar frente a frente com um toiro?

SM - É uma adrenalina inexplicável, sinto-me à vontade, com muito respeito pelo oponente, porque sem duvida que estar ali de caras com um toiro é um momento único que vive e se sente dentro das nossas veias, a vontade de o vencer, de pegar e não o deixar, sentir aquela massa bruta nos braços e no fim saber que quem mandou e triunfou fomos nós e não o animal.

FT - Qual a ganadaria que mais gostas de pegar?

SM - Já peguei toiros de muitas ganadarias, mas o toiro que mais gosto de sentir e estar frente a frente sem duvida alguma que é o toiro da ganadaria Murteira Grave.

FT - Com os anos que levas de forcado, notas diferença nos toiros em termos de bravura, resistência e força?

SM - Sim, sinto muita diferença, agora os touros estão mais fortes e maiores, em bravura julgo estarem iguais.

FT - Entendes necessário alargar a seguranças dos forcados na corrida de toiros?

SM - Sem duvida nenhuma as bandarilhas têm de ser mais seguras.

FT - Entendes necessário criar um seguro extraordinário para os forcados?

SM - Sim, pelo respeito que o forcado merece e por ser na festa quem está mais desprotegido.

FT - Pensas que a associação de forcados amadores defende os interesses reais dos forcados? Há algo mais a fazer? Se sim, o quê?

SM - Não, não defende. Devia olhar para todos os grupos da mesma maneira e deixar de descriminar grupos que merecidamente lutam e defendem o que mais gostam de fazer que é pegar toiros, uma arte única que o forcado faz sem qualquer interesse que não seja o amor, o gosto e a defesa da cultura portuguesa.

FT - Quais são as tuas referências dentro da forcadagem, estando no activo ou retirados?

SM - Sem duvida alguma Joaquim José Penetra já retirado e na actualidade o nosso cabo João Machacaz.

FT - No teu entender quais foram os melhores e os piores momentos da época passada?

SM - Os melhores momentos são todos aqueles em que tudo corre bem e felizmente tivemos muitos. Os piores momentos são quando alguem do grupo se aleija como foi o caso da corrida TV Norte na Póvoa do Varzim em que o Raul Jesus saiu com uma fractura no joelho e na corrida de Monforte em que o João Guerreiro saiu com uma rotura de ligamentos no joelho.

FT - Qual a ganadaria que vos deu mais prazer pegar o ano passado?

SM - Pelas dificuldades que os toiros criaram aos forcados, sem duvida que foi a prestigiada ganadaria António Silva.

FT - Que projectos tem o grupo para 2014?

SM - Fazer no mínimo vinte corridas nas principais praças do país e pegar nos açores.

FT - Esses projectos contemplam saídas para o estrangeiro?

SM - Sim, França.

FT - Quem é o Sérgio Miguel Pires do Carmo?

SM - Com a ajuda da esposa lá veio a resposta, sou uma pessoa simples, dada, humilde, brincalhão, zeloso pela família, responsável, trabalhador, alegre, amigo do seu amigo e sempre disponível para ajudar o próximo.

Numa palavra:

A tua melhor pega? Praça da Ericeira a um touro do João Moura

Um cavaleiro? Luís Rouxinol

Uma ganadaria? Murteira Grave

Um forcado? João Machacaz

Um toureiro? Luís Vital Procuna

Um bandarilheiro? Cláudio Miguel

Uma praça? Campo Pequeno

Um cavalo? Xique do Filipe Gonçalves

Um(a) colega? A minha esposa

Um clube? Benfica

Um jogador? Cristiano Ronaldo

Gostas de filmes? Sim

Um destino de férias? Caraíbas

Um país? Austrália

Uma cidade? Lisboa
 
 
FT - Uma palavra/sugestão para o Forcadilhas e Toiros:

SM - Quero dar as boas vindas ao site, que tenha toda a sorte e êxito, que tudo o que desejam venha a acontecer e se realize com a maior eficácia. Dar os parabéns ao site pela criatividade, pois mostram a paixão pela festa brava.

Autor da entrevista: ARMANDO ALVES