Periodicidade: Diária - Director: Armando Alves - 23/10/2018.
 
 
MOITA FLORES E CARLOS MANUEL FALAM SOBRE OS 40 ANOS DE ALTERNATIVA DE JOÃO MOURA
MOITA FLORES E CARLOS MANUEL FALAM SOBRE OS 40 ANOS DE ALTERNATIVA DE JOÃO MOURA
04 de Junho de 2018

Quinta feira vamos encher o Campo Pequeno e homenagear João Moura

Francisco Moita Flores, consagrado escritor e aficionado, faz a seguinte síntese da tauromaquia de João Moura:

“João Moura é um marco histórico da tauromaquia portuguesa. A maneira de abordar a lide foi, na época, de tal modo inovadora que embasbacou multidões em delírio. Nunca se vira tal arte nas praças portuguesas e, rapidamente, entrou para a galeria dos grandes protagonistas, ao lado de João Branco Núncio, Simão da Veiga, Mestre Baptista. Ver tourear este cavaleiro, e a escola que criou, é entrar numa outra dimensão da Festa Brava. Que a vida lhe sorria durante muitos anos para prazer de uma multidão de aficionados que o associa ao que de melhor se fez em Portugal no domínio do toureio equestre”.

 

Carlos Manuel, internacional de futebol pela Selecção A, o “homem golo” que derrotou a Alemanha em Estugarda e colocou Portugal no campeonato do mundo México 86, é também um admirador de João Moura e aficionado desde sempre. É deste modo que recorda a carreira de João Moura e a importância deste cavaleiro para o toureio.

“Como Admirador e Amigo de vários Toureiros...

Como aficionado tenho um carinho especial por TODOS aqueles que fazem parte da arte tauromáquica.

Conheço o João Moura desde os anos 80...talvez ele não saiba mas eu por João Moura deixo-me sempre convocar. Mesmo que me deixe no banco, mesmo que nem sequer me convoque. Nas praças de toiros onde de vez em quando nos encontramos e cuja magia partilhamos, um caminho que continuou e cresceu. Por isso, tenho ido assim por aí fora, com o mesmo grau que ousaria dizer, afinidade, e onde o passar do tempo sobre a vida, deixou memória. 

Por isso quando há dias tocou o telefone e era por causa de falar sobre João Moura, entrei em praça disposto a dar o meu melhor. E embora esta corrida constitua um desafio não de somenos animei-me com o facto de se tratar de uma convocação para testemunhar em escrita a festa do amigo João Moura.

Estou a falar de um cavaleiro reconhecido internacionalmente como uma das maiores figuras da tauromaquia, João Moura é um génio, uma primeiríssima figura nacional e mundial do toureio equestre. Criou um estilo novo de tourear a cavalo e, tendo até trazido às regras clássicas do toureio a cavalo uma brega própria - uma brega que oferecia ao toiro a garupa ou a espádua do cavalo, a ladear e galopar sem nunca lhe perder a cara, a templar ao máximo as investidas até ganhar terreno, depois a carregar a sorte e reunir em terrenos menos propícios – e como tal  trouxe a sua interpretação pessoal para esta forma de expressão da arte tauromáquica.

A tauromaquia e Portugal devem muito a João Moura, ficará para sempre na História dos grandes artistas, inovadores e profissionais da Arte de Bem Tourear.

Esta é apenas uma singela Homenagem a João Moura.“