Periodicidade: Diária - Director: Armando Alves - 15/07/2019.
 
 
ENTREVISTA E IMAGENS DO TREINO DOS FORCADOS DE CORUCHE
ENTREVISTA E IMAGENS DO TREINO DOS FORCADOS DE CORUCHE
05 de Fevereiro de 2019

Inicio de mais uma época

Realizou-se no passado sábado 02 de fevereiro, na Quinta das Silveiras na Fajarda, o primeiro treino da temporada 2019 do grupo de forcados de Coruche, o Forcadilhas e Toiros, esteve presente e à conversa com o Cabo José Macedo Tomas. 

FT- COMO ENCARAS A ÉPOCA DE 2019?

J.M.T.- Com expectativas muitas elevadas porque a época de 2018 correu-nos muito bem, tivemos forcados de cara e também os ajudas que tiveram a um nível muito bom e esses forcados estão todos cá para fazer a época 2019. Estão mais experientes, mais confiantes e temos ainda outros que se juntaram, temos o grupo para 2019 mais confiante, com mais experiência mais capaz, por isso só posso encarar 2019 de uma maneira muito positiva, tanto assim que as próprias empresas já nos abordaram e já temos à data de hoje bastantes contratos firmados, são os frutos da época passada. Vão haver corridas, vão haver toiros e nós temos os elementos mais capazes e com expectativas muito altas.

FT- INICIAM HOJE OS TREINOS PARA A NOVA ÉPOCA. VÃO TER NOVOS ELEMENTOS A INTEGRAR O GRUPO?

J.M.T- Hoje fizemos o primeiro treino, já antes tínhamos feito uma Ferra de gado Manso que é sempre um evento também que acaba por ser um dia de treino, por assim dizer, não é propriamente um treino porque não há técnica, mas prepara-se o corpo e o coração para a temporada. Hoje tivemos o primeiro treino no qual tivemos umas caras novas e uns regressos, jovens que passaram pelo grupo mas depois por situações da vida, não vigaram, não avançaram e que regressam, hoje tivemos 7 caras novas, é um pouco incerto, não sabemos se se mantêm ou não porque é uma vida muita dura, há treinos, há corridas as despesas são muitas os quilómetros são muitos, há lesões há tudo mas ter num primeiro treino 7 caras novas, ainda por cima alguns claramente com e com garra é muito bom, penso que tenha a ver com a época 2018 que fizemos e com a nossa comunicação muito porta aberta que é apelativa, atractiva para os jovens, ou seja hoje vir treinar ao grupo de Coruche é muito simples, a recepção é fácil enquanto antigamente e ainda continua assim na maioria dos grupos e que também é um meio mais comum é o apadrinhamento ou seja um amigo que traz um amigo, mas hoje já não acontece tanto isso já temos miúdos de longe de Coruche e não é só de outras terras que nos chegam só porque apenas conhecem o grupo através da nossa comunicação das redes sociais sobretudo e que nos abordam e procuram saber quando há os treinos e aparecem.

FT- QUANTAS CORRIDAS TEM NESTE MOMENTO JÁ CONTRATADAS? APENAS EM PORTUGAL OU CONTAM IR AO ESTRANGEIRO?

J.M.T.- Em 2018 no início de maio nós conseguimos apresentar 10 corridas já agendadas e confirmadas com autorização dos empresários para as anunciarmos o que foi extraordinário. quer dizer 10 corridas não é noticia de primeiro jornal, mas em maio poder anunciar corridas é sempre muito bom. Acabamos por fazer apenas só 1, hoje posso dizer que essas dez já estão alcançadas, estamos no início de fevereiro e já temos 10 corridas marcadas ainda não tenho autorização para as divulgar por parte dos empresários, mas estão afirmadas e temos outras 4 num meio caminho que falta saber se essas corridas são compatíveis com as outras datas que já temos, mas para já temos catorze corridas firmadas, dez confirmadas e outras 4 podem ou não acontecer. No estrangeiro para já não temos nada, têm surgido algumas ofertas para o México, mas ainda não houve condições para o grupo puder fazer essa digressão. Tivemos em 2017 em França foi uma experiência boa, os convites têm aparecido, mas não tem sido convites que possamos aceitar, as despesas são muitas e as propostas não têm sido capaz de ser aceites pela nossa parte. 

FT- O QUE ESPERAM DA ÉPOCA QUE AI VEM EM TERMOS GERAIS?

J.M.T- Em termos gerais espero que seja a continuação de 2018 mais publico melhor qualidade dos toiros no espectáculo em si, porque sinto que estamos numa fase de muito tauromaquia, por varias razões e mas delas tenho a certeza que tem algum impacto, que é o ataque que os anti taurinos nos fizeram e tem feito e que se tem tornado cada vez mais intenso e há as vezes é preciso isso, um abanar para acordar e sinto que as pessoas estão cada vez mais aguerridas na defesa da festa, os empresários estão cada vez mais vaidosos de montar boas corridas as pessoas fazem questão de premiar os empresários por isso e acredito que 2019 seja uma época extraordinária, porque há bons toiros no campo, há muita vontade de apresentar boas corridas e os artistas também tem estado a um nível muito elevado, falo dos forcados, dos cavaleiros tem havido muita competição e, muita procura para ser melhor e fazer melhor, o publico tem sido cada vez mais exigente, eu acho que estamos a viver uma fase boa, não sei se é duradoura, mas estou convencido que 2019 faz parte dessa fase muito boa que a tauromaquia esta a passar.

FT- DIA 23 VAMOS TER O DIA DA TAUROMAQUIA. QUE ESPERAM DESSE DIA E QUAL VAI SER A VOSSA PARTICIPAÇÃO NO EVENTO?

J.M.T.- O dia da Tauromaquia aparentemente anunciado, vai ser constituído muito à imagem do Bullfest , que foi um sucesso. O festival poe não ter sido o sucesso esperado, mas o dia em si foi um sucesso e eu estou convencido que este dia da tauromaquia vai ser também um sucesso, um dia especialmente direccionado para o público, aquele que chama o aficionado não praticante, ou seja, o aficionado que vai a 3 ou 4 corridas por ano, não mais, vê a corrida da terra e pouco mais, é o aficionado, mas não está por dentro dos temas, não conhece as polemicas, não conhece as situações particulares da cada ganadaria de cada grupo, e estes dias fazem falta, para esses aficionados não praticantes darem um passo num caminho de ser um pouco mais praticante e também para que eles depois levarem essa experiência para o seu grupo de amigos, circulo de amizades, e também que cria mais aficionados, portanto acho que faz sentido, que é um espectáculo que faz sentido, tenho as maiores expectativas para esse dia, para um aficionado não é um dia especial, porque lá esta, acho que esta desenhado para ir outro publico e é assim que faz sentido.Coruche ira participar na selecção de forcados e será representado por mim, Cabo, porque achamos e apesar de concordar com alguns grupos que declararam que não iriam participar, apesar de concordar em absoluto com os argumentos por eles utilizados, que a selecção não é propriamente uma selecção de forcados é um pouco contra a ideologia de um grupo de forcados, que é um grupo de amigos, que por acaso pega toiros, é assim que se chama em todos os grupos, numa selecção de forcados não é isso, essa lógica para mim está logo quebrada, não existe, ainda assim e concordando com isso tudo acho que é um convite da Prótoiro, temos que estar unidos quando temos um problema muito maior que é a força dos anti taurinos, temos que estar unidos com a Protoiro, gostava que o convite tivesse sido diferente, gostaria que se tivesse pensado na participação dos forcados de outra maneira, mas foi assim que a Prótoiro entendeu, eu acho que é mais importante dizer sim à Prótoiro, dizer sim à Tauromaquia e defender a Tauromaquia que propriamente manter esta ideologia, acho ser uma situação pontual. Eu aceito fazer esse sacrifício, mas concordo em absoluto com o que alguns grupos declararam e percebo os argumentos. Coruche ira participar porque entende que neste momento é preciso estarmos unidos e se for necessário fazer alguns sacrifícios, ou de comprometer alguns princípios, digamos assim, pontualmente tendo em conta a causa.

Fotos e entrevista:MONICA SANTA BARBARA