Periodicidade: Diária - Director: Armando Alves - 24/05/2019.
 
 
GRANDE TARDE DE TOIROS EM MOURA
GRANDE TARDE DE TOIROS EM MOURA
12 de Maio de 2019


A presente obra está protegida ao abrigo do Código do Direito de Autor e dos Direitos Conexos.
A utilização não autorizada pode configurar a prática de um crime de usurpação ou contrafação (arto.s 195o e
196o do CDADC) para além de incorrer em irresponsabilidade civil conducente a um pedido de
indemnização.
© 2018, Armando Alves
 
NOTÍCIAS RELACIONADAS

Rostos da praça



O Forcadilhas e Toiros esteve presente!

Fotografias de João Rodrigues de Carvalho

Texto de Ana Silva

 

Ontem dia 11 de Maio, teve lugar em Moura mais uma grandiosa corrida de toiros. Na “Alma do Alentejo” estavam em disputa os prémios para Melhor Ganadaria, Melhor Pega e Melhor Par de Bandarilhas pelos cavaleiros Luís Rouxinol, Filipe Gonçalves e Marcos Bastinhas. Para pegar os 3 toiros Canas Vigouroux e os 3 António Silva, estiveram presentes os Grupos de Forcados Amadores de São Manços, Real de Moura e Beja.

Abriu a tarde Luís Rouxinol frente a um belíssimo exemplar de António Silva, imponente e com trapio, com 650 kg. Esteve bem nos compridos, mas ainda melhor nos curtos, com ferros muito bons, todos cravados ao estribo. Terminou a primeira lide com um par de bandarilhas, cravado ao segundo intento, mas que resultou muito bem. Obteve uma lide correta e bem conseguida, ao som da música e ao seu estilo. Para a pega deste primeiro toiro saiu à arena João Rosmaninho, do GFA de São Manços, que consumou à primeira tentativa uma pega rija.

Filipe Gonçalves defrontou um Canas Vigouroux de 570 kg. Cravou dois compridos a sesgo, que resultaram bem. O terceiro ferro curto resultou num ferro de destaque, cravado após forte batida ao píton contrário. Filipe lidou ao som de música e conseguiu uma lide correta e ritmada com alguns ferros de bom tom, no entanto não conseguiu transmitir muita emoção à bancada. Terminou a sua lide com um par de bandarilhas, que resultou bem, mas terminou com um toque à garupa do cavalo. Carlos Mestre do Real Grupo de Forcados Amadores de Moura foi à cara deste toiro, consumando a pega ao primeiro intento.

Para terminar a primeira parte, Marcos Bastinhas enfrentou um Canas Vigouroux de 585 kg. Marcos esteve muito bem durante toda a lide, começou com dois compridos muito bons e continuou com ferros curtos ainda melhores. Conseguiu, nos curtos, ferros de destaque, muito bem cravados, mas foi a cravar o par de bandarilhas que pôs a praça de Moura de pé. Cravou o par, muito bem conseguido, saltou do cavalo e deixou-se ficar apeado no centro da arena, terminando assim a sua lide. Pelo Grupo de Beja, Francisco Patanita brindou a Marcos Bastinhas, relembrando tudo o que ele e o seu pai já fizeram pela festa brava. Consumou uma boa pega ao primeiro intento.

Após um breve intervalo, regressou Luís Rouxinol para lidar um Canas Vigouroux de 520 kg. Iniciou a lide com 3 ferros compridos bem conseguidos, cravados a sesgo. Conseguiu curtos de valor, numa lide onde a única coisa que faltou foi emoção na bancada. Cravou um violino de destaque e terminou com um ferro de palmo e um par de bandarilhas, ambos bem conseguidos, cravados ao estribo e en su sitio. Para a pega da tarde, João Fortunato, cabo do GFA de São Manços, consumou ao primeiro intento.

Na sua segunda lide, Filipe Gonçalves toureou um António Silva de 640 kg. Em três ferros compridos, conseguiu dois bons. Nos curtos esteve sempre correto, cravou ferros ao estribo após fortes batidas ao piton contrário, mas que resultaram um pouco deslocados. O 4º ferro curto foi um ferro muito bem conseguido, cravado a sesgo. Terminou a lide com um par de bandarilhas correto, cravado ao fim de algumas passagens em branco. Pelo Real Grupo de Forcados de Moura, o cabo, Valter Rico, consumou esta pega ao segundo intento.

Para terminar a tarde, Marcos Bastinhas recebeu o seu oponente, António Silva, de 550 kg com uma Sorte de Gaiola que resultou muito bem. Conseguiu uma lide correta e com ferros muito bem cravados e terminou com dois pares de bandarilhas espectaculares, que mais uma vez levantaram a praça de Moura. Pelo GFA de Beja, o cabo, Miguel Sampaio consumou ao primeiro intento.

Após deliberação do júri, foram entregues os prémios em disputa. O prémio para melhor par de bandarilhas, denominado “Prémio Joaquim Bastinhas”, foi entregue pela viúva, Helena Nabeiro, a Marcos Bastinhas, pelo primeiro par cravado na lide do seu segundo toiro. A entrega deste prémio resultou num momento muito emotivo para todos os envolvidos.

O prémio de Melhor Ganadaria foi entregue à ganadaria Canas Vigouroux.

O prémio de Melhor pega foi arrecadado pelo Grupo de Forcados Amadores de São Manços, pela pega do seu cabo, João Fortunato.